Work in progress - Em processo

I have always thought of the biological divisions of sex only between the two binaries: man and woman, regardless of their sexual orientation. A few months ago, I met Dionne Freitas. A woman who made me rethink my concepts about gender and sexuality, not only others but also mine. In what way is our creation established before a pattern of what it is to be female or male and how does it influence who we are or could be?

Dionne Freitas is a transsexual and intersex woman who was raised as a boy until she was 12, when female characteristics began to appear in her body. Dionne today is 28 years old and is an Occupational Therapist, besides being youtuber and militant of LGBTI rights. For her, visualizing the intersexual question is to show that these socially constructed binaries for body control are not true. "There are male and female, but among them there are many intersex states that also exist and that are human and not anomalies."

Today, in Brazil, more than 3 million people are intersex. Intersex is the term used to describe people born with reproductive system, sexual anatomy, gonads, chromosomes or sex hormones that do not fit the typical definition of male or female. The great struggle of these people is the recognition of the existence of the neutral gender and the establishment of bases for the adequate treatment of intersexual babies and adolescents.

Sempre pensei nas divisões biológicas de sexo apenas entre os dois binários: homem e mulher, independente da orientação sexual de cada um. Há alguns meses, conheci Dionne. Uma mulher que me fez repensar os meus conceitos sobre gênero e sexualidade, não só nos outros, mas também em mim mesma. De que maneira a nossa criação é estabelecida diante de um padrão do que é ser feminino ou masculino e como isso influencia em quem somos ou poderíamos ser?

Dionne Freitas é uma mulher transexual e intersexo, que foi criada como um menino até os 12 anos, quando começaram a aparecer fisicamente características femininas em seu corpo. Dionne hoje tem 28 anos e é Terapeuta Ocupacional, além de ser youtuber e militante dos direitos LGBTI. Para ela, visibilizar a questão intersexual é mostrar que esses binários construídos socialmente para controle de corpos não são verdadeiros. “Existem o masculino e feminino, mas entre eles existem muitos estados intersexuais que também existem e que são humanos e não anomalias."

Hoje, no Brasil, mais de 3 milhões de pessoas são intersexo. Intersexo é o termo usado para descrever pessoas que nasceram com sistema reprodutor, anatomia sexual, gônadas, cromossomos ou hormonios sexuais que não se encaixam na definição típica de masculino ou feminino. A grande luta dessas pessoas é o reconhecimento da existência do gênero neutro e o estabelecimento de bases para o tratamento adequado de bebês e adolescentes intersexuais. Para que no futuro cada criança possa decidir seu sexo e não comissões médicas ou familiares.